segunda-feira, 29 de agosto de 2011


Quando eu te peço pouco é porque quero tudo que possa me dar, quando eu te peço pra esquecer é porque quero te fazer lembrar de tudo que passou. Quando eu te digo que eu não penso é porque eu não paro de pensar. Quando eu tento me esconder é porque eu só quero te mostrar, o que eu ainda sou.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011


Ninguém ligou, nem vai ligar. O visor do telefone não acusa nenhuma mensagem perdida. E-mail, sinal de fumaça, uma chamada não-atendida. A tela da TV não parece uma saída. Eu vivo um refrão antigo, feito às pressas, plágio de uma bela melodia. Eu vivo um sonho toda a noite, eu vivo a noite todo dia. O que não pude prever, o que eu não queria. E quando eu ver TV, vou ter sempre uma chande de lembrar.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo e não quero aprender...

(esses eram os ruídos que saiam de sua cabeça.)

terça-feira, 23 de agosto de 2011


Ouvir um eu te amo na primeira semana faz disparar o coração, despeja na corrente sanguínea
adrenalina suficiente pra você nunca ter que pular de pára-quedas na vida. Te faz sentir vivo [...]

segunda-feira, 22 de agosto de 2011


[...] se quer saber eu andei lendo uns contos do Caio Fernando Abreu e não anda nada fácil, cada trecho dele é como se desprendesse metade do que eu sinto por você, abre meus olhos com uma quentura tão forte que chego a pensar que isso nunca vai passar.
Não dói, isso não, mas é um aperto no coração que perco as forças, tem hora que parece que  tudo mudou, mas na medida que eu sonho eu vejo que nada mudou da mesma forma que eu espero que mude. Quando eu vejo que não sou a mesma pessoa, penso que pode ser mais fácil, mas não, você mudou, não vejo aquele semblante que via durantes meses. To pensando em arrancar meu coração, talvez o cérebro não tenha pra quem mandar resposta.

Marcelo C.

sábado, 20 de agosto de 2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

O que me importa seu carinho agora, se é muito tarde para amar você ?
O que me importa se você me adora, se não há razão pra lhe querer ?
O que me importa vê você sofrer assim, se quando lhe quis, você nem mesmo soube dar amor...
O que me importa vê você chorando, se tantas vezes eu chorei também ?
O que me importa sua voz chamando, se pra você jamais fui alguém ?
O que me importa essa tristeza em seu olhar, se meu olhar tem mais tristezas pra chorar que o seu!
O que me importa vê você tão triste assim, se triste eu fui e você nem ligou ?
O que me importa seu carinho agora, se para mim a vida terminou!

domingo, 14 de agosto de 2011

Bem, eu realmente aprendi algumas coisas e uma delas é que a felicidade não tem nada a ver com a aprovação das outras pessoas. O que realmente importa é estar feliz com você mesmo, encontrar alguém que é importante para você seguir adiante sem ligar para o que os outros falam.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011


Ok você apareceu pra me mostrar que eu também posso ser amado e não só amar, me mostrou que o que eu fazia pelas outras você seria capaz de fazer por mim, me esperou.
Relevou, ignorou minha ignorância, não deixou minhas palavras nada românticas te ferir,
Afirmou que eu ia te amar, e você seria capaz de fazer isso sozinha, sem minha ajuda, sem minha colaboração, eu tava preso, sem saída, talvez a melhor saída seria ficar só ou somente pisar em alguém, olha como eu tava sendo rude com você, mas foste de uma educação, amor, carinho e tudo de bom. Chorou quando teve que chorar, me pressionou quando foi necessário,  não me forçou a nada, e eu voltei, talvez por você ser assim tão amável, talvez por ter conseguido me fazer te amar. Talvez porque te amo.


Marcelo C.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011


- Você tomou alguma coisa ?
- O quê ?
- Cocaína, morfina, codeína, mescalina, heroína, estenamina, psilocibina, metedrina.
- Não tomei nada. Não tomo mais nada.
- Nem eu. Já tomei tudo.
- Tudo ?
- Cogumelos têm parte com o diabo.
- O ópio aperfeiçoa o real.
- Agora quero ficar limpa. De corpo, de alma. Não quero sair do corpo.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

(...)

- Você tem um cigarro ?
- Estou tentando parar de fumar.
- Eu também. Mas queria uma coisa nas mãos agora.
- Você tem uma coisa nas mãos agora.
- Eu ?
- Eu.

(Silêncio)

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Que coisas são essas que me dizes sem dizer, escondidas atrás do que realmente quer dizer? Tenho me confundido na tentativa de te decifrar, todos os dias. Mas confuso, perdido, sozinho, minha única certeza é que cada vez aumenta ainda mais a minha necessidade de ti. Torna-se desesperada, urgente. Eu já não sei o que faço. Não sinto nenhuma outra alegria além de ti. Como pude cair assim nesse fundo de poço? Quando foi que me desequilibrei? Não quero me afogar: Quero beber tua água. Não te negues, minha sede é clara.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011


Somos finos como papel. Existimos por acaso entre as porcentagens, temporariamente. E esta é a melhor e a pior parte, o fator temporal. E não há nada que se possa fazer sobre isso. Você pode sentar no topo de uma montanha e meditar por décadas e nada vai mudar. Você pode mudar a si mesmo para ser aceitável, mas talvez isso também esteja errado. Talvez pensemos demais. Sinta mais, pense menos.