quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Ia escrever sobre você de novo. Desisti.
Tenho perdido muito tempo com você.
Tenho perdido todo o meu tempo com você. 
Me perdi em você. Perdi você. Agora me perco por você. Perco todo meu tempo com você. 
As vezes perco meu tempo me perguntando se tudo isso é só perda de tempo. Será que você perde seu tempo comigo?
Isso não é sobre você. Isso é sobre eu tentando pensar em outras coisas.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011


Eu troco a roupa, tomo um café, me sento sempre na janela. E a minha casa é pra onde vão meus pés.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

De que vale ser aqui?

Perceber aquilo que se tem de bom no viver é um dom.

Eu tenho uma certa dificuldade de só enxergar o que eu quero ou o que eu preciso, isso é a entrada para vida ilusória que tanto almejamos.

Eu vivo a vida na ilusão, entre o chão e os ares vou, sonhando em outros ares vou,
fingindo ser o que eu já sou.

Ilusão é um tanto quanto ruim, contraditória e longa.
Fecha os olhos e voa, vai buscar no céu um deus inexistente ou talvez possa inventa-lo para conforto próprio da mente.

É deus, parece que vai ser nós dois até o final, eu vou ver o jogo se realizar de um lugar seguro.

Eu busco demais, eu peço demais, eu cobro demais da vida e das pessoas ao meu redor.
Isso talvez estrague minha vida real, me deixando numa condição de pedir: não me acorde, não por favor, aqui no caminho do céu ta melhor, o meu céu é leve, é seguro.

De que vale ser aqui, onde a vida é de sonhar? 

Não me vejo nessa vida, não consigo viver mais mergulhado na hipocrisia do mundo, das pessoas.
Eu juro que irei procurar meu melhor, em silêncio, mesmo sem me libertar eu vou.
Onde eu viverei, nesse mundo ilusório, fictício, a maldade humana é reclusa numa caixa preta.

De que vale ser aqui?

Liberdade.

Marcelo C.





terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Olha, eu estou te escrevendo só pra dizer que se você tivesse telefonado hoje eu ia dizer tanta, mas tanta coisa. Talvez mesmo conseguisse dizer tudo aquilo que escondo desde o começo, um pouco por timidez, por vergonha, por falta de oportunidade, mas principalmente porque todos me dizem que sou demais precipitado, que coloco em palavras todo o meu processo mental (processo mental: é exatamente assim que eles dizem, e eu acho engraçado) e que isso assusta as pessoas, e que é preciso disfarçar, jogar, esconder, mentir. Eu não achei que ia conseguir dizer, quero dizer, dizer tudo aquilo que escondo desde a primeira vez que vi você, não me lembro quando, não me lembro onde. Hoje havia calma, entende? Eu acho que as coisas que ficam fora da gente, essas coisas como o tempo e o lugar, essas coisas influem muito no que a gente vai dizer, entende? Pois por fora, hoje, havia chuva e um pouco de frio: essa chuva e esse frio parecem que empurram a gente mais pra dentro da gente mesmo, então as pessoas ficam mais lentas, mais verdadeiras, mais bonitas. Hoje eu estava assim: mais lento, mais verdadeiro, mais bonito até. Hoje eu diria qualquer coisa se você telefonasse. Por dentro também eu estava preparado para dizer, um pouco porque eu não agüento mais ficar esperando toda hora você telefonar ou aparecer, e quando você telefona ou aparece com aquelas maçãs eu preciso me cuidar para não assustar você e quando você me pergunta como estou, mordo devagar uma das maçãs que você me traz e cuido meus olhos para não me traírem e não te assustarem e não ficarem querendo entrar demais dentro dos teus olhos, então eu cuido devagar tudo o que digo e todo movimento, porque eu quero que você venha outras vezes. (...)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Triste é não chorar, sim, eu também chorei e não, não há nenhum remédio pra curar essa dor que ainda não passou, mas vai passar, a dor que nos machucou e não, não há nenhum relógio pra fazer voltar… O tempo voa.
Era um dia especial, sentada no chão, folhas secas, algumas formigas, o seu cigarro preferido e Nando Reis. Sentia-me triste, solitária, cansada. Uma vontade imensa, maior do que tudo de te dar um abraço apertado e mútuo menina, apenas isso. Então fechei os olhos bem forte e desejei você na minha frente ao abri-los, mexendo no meu cabelo, sorrindo. Frustração. Quando abri você não estava lá. O que venho tentando ser dessa vida, é algo não tão clichê. Frustração de novo. Fumante, desiludida, confusa, triste, frágil, sentimental. 
E eu gosto dela e ela gosta de mim e eu penso nela será que isso não vai ter fim?
Do meu lado surge um passarinho que nunca havia visto, tinha asas compridas e sua barriga era amarelada, bem da cor dos seus olhos, não sei se é um devaneio meu ou algo  do tipo, mas o passarinho tinha o seu cheiro, conversei com ele e o chamava pelo seu nome. Lágrimas. Intensas como não me lembro de derramar há muito, muito tempo. Bateu uma saudade dos momentos bons com você, das prolongadas risadas pelos motivos mais idiotas possíveis e imagináveis, fechei os olhos mais uma vez, dessa com mais fé, pra ver se você aparecia e claro que não apareceu. O passarinho foi embora e levou seu cheiro e seus olhos. Você foi embora e levou minha felicidade, minha sanidade e uma parte de mim que eu já tinha depositado em você. 
Baby eu queria só te ver hoje , ver os seus olhos, sentir o calor intenso das suas mãos, baby eu queria que você fosse não. Baby eu queria te dizer agora, você vai embora levando o vapor e o vento das suas mãos, baby eu queria ir nesse avião. Baby eu queria te beijar de novo, sentir os seus lábios e o sabor no silêncio da respiração, baby eu queria ser o seu violão. Baby eu queria ficar com você pra sempre, ficar do seu lado ser seu amor eterno sua paixão, baby eu só queria te dar a mão. Mas não quero deixar que a tristeza inunde o meu coração, prefiro chorar com a certeza de que essa paixão me fez um homem melhor depois de você.

Jéssica Rodrigues.
Da vontade de mandar meio dúzia de gente tomar no c* e correr pra casa chorando, se trancar no quarto pra tomar um toddy e jogar Playstation até ficar vesgo. Isso de escolher qual cara eu vou vestir hoje fode com tudo. Sempre. É, eu confesso que não é exatamente a realidade que eu esperava encontrar. Talvez isso mude. Ou talvez eu só preciso de férias, um porre e um novo amor. Porque no fundo eu sei que a realidade que eu sonhava afundou num copo de cachaça e virou utopia.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

I am a stupid man

Não corra atrás, não se preocupe, não pense se a pessoa ta bem ou se ta doente, ou ate internada com uma grave doença, porque essa pessoa está pouco se fodendo se você ta sendo magoado por suas atitudes. Ela escolheu ficar longe de você, foi uma opção livre, ninguém a obrigou, beber não vai adiantar, a raiva é momentânea, talvez da uma “cheirada” seja a saída, ou, quem sabe chapar a mente com uma boa erva pra aliviar a cabeça. Entenda que seus esforços pra quem não ta nem ai estão sendo em vão, mas eu sei não adianta ninguém falar, por que você quer quebrar a cara só, sem ninguém avisar. Mas se eu e você ou qualquer pessoa que passou ou passa por essas situações um tanto quanto cômicas ouvíssemos conselhos não saberíamos a graça de odiar, nem a graça de se embebedar e ligar em plena madrugada xingando a pessoa que lhe botou nesse fundo de poço. Por isso um aviso: não me escutem, não sigam meus conselhos, corram atrás do suposto amor da sua vida até ela lhe chutar feito um lixo. Beba, caia, transforme o “Eu te amo” por um “Foda-se” e eu quero ver se a resposta ainda será a mesma “ok”.

Marcelo C.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Está chovendo. Pela janela posso ver, lá embaixo, as pessoas correndo, de capas e guarda chuvas. As árvores do parque estão todas molhadas, mais verdes. Engraçado, não gosto do meu quarto – das paredes, dos móveis – mas gosto demais das coisas que posso ver pela minha janela. Das coisas que estão fora dele, porque o que está aqui dentro eu acho muito parecido comigo. E eu não gosto de mim. Ou gosto? Não sei. Talvez pareça não gostar justamente porque gosto muito, então exijo demais do meu corpo, e as coisas erradas que ele faz – são tantas! – me fazem detestá-lo. A gente sempre exige mais das pessoas e das coisas que quer bem, as que queremos mal ou simplesmente não queremos nos são indiferentes.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Relato de um velho e fraco coração apaixonado

Coração na boca a ponto de escapulir, ouço os mesmo sinos de novembro, e por falar no mesmo, ele foi abençoado não?
Amor, não foi em vão que te chamei de vida, não foi em vão que te escolhi pra ser minha, pra sempre, eu penso nisso. Você e eu velhinhos, caminhando na orla da praia, comentando como nosso passado foi lindo, cheio de amor, flores, alegrias, rodeados de gente que queria o nosso bem, que queria nos dois juntos, você acariciando meu cabelo branco, eu lhe admirando como sempre, lhe olhando e você com vergonha, invertemos os papeis porque quando jovens era você que me encabulava, logo ali, naquele tempo tão conturbado, meu amor, eu te escolhi na primeira batida de olho, na primeira  vez que você me fez ficar com a bochecha vermelha lembra ?
Ali eu vi meu futuro, nunca imaginei que seria sempre mar de flores não, soube fazer meu caminho com muita lágrima, muita saudade, e muito amor. Ali meu amor, no colegial eu te escolhi e prometi nunca mais te abandonar, mesmo com todas as provações que passei eu estive ali do seu lado, e você foi a única testemunha. Não penso na nossa vida sendo mil maravilhas não,eu quero a simplicidade no nosso olhar, que eu possa colher flores toda manhã pra te dar logo ao acordar, te servir café da manhã na cama com torradas e suco natural (na verdade esse é meu gosto) subo na macieira constantemente e pego as maçãs mais vermelhas do pé, só pra ver seu sorriso logo ao despertar, danço na chuva, faço anjinho na neve o que for, mas te conquisto dia após dia.

Marcelo C.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Tu sabes que meu amor não é tão gigantesco assim né?
Sabemos que textos pra outra machucam e ferem, faz você desejar a morte ou o lugar da mesma.
Mas logo chora e sofre.
Esse foi feito num fim de tarde bonito e trágico de domingo.
Bonito porque o fim de tarde em Recife costuma ser mágico, e trágico porque no momento que to escrevendo outro está te abraçando e nos estamos separados por uma avenida congestionada de carros. Eu pareço patético ao te cobrar ciúmes ou fidelidade, eu sou complicado. Eu sinto ciúmes e sinto posse, isso mesmo eu tenho sobre você um sentimento de posse. Queria ir ai e cobri esse tal de porrada, ele não sabe te abraçar e dar carinho como eu sei. O estranho e complicado fazem parte de mim, fazem parte dos meus sentimentos e instintos.

Marcelo C.

sábado, 19 de novembro de 2011

É estranhamente engraçado o meu sentimento por você. Por esse considerável tempo que nos conhecemos, todas as vezes que nos encontramos, meu coração sempre acelera um pouco e eu realmente sei que te amo, amo pra caralho. Desde o primeiro instante que meus olhos bateram nos teus e por mais exclusiva que tenha sido a situação, eu sabia que te amava e que ia te amar ainda mais quando te conhecesse, e foi o que aconteceu. Olha menina, a cada “oi” que você me dá eu sinto um cheiro diferente, uma leveza interior é tudo tão desconhecido e é sempre assim. E eu achando que não podia te amar mais, que ingenuidade! Toda vez que ouço a tua voz, brota um sentimento completamente inédito, uma nova forma de te amar ou algo do tipo que não tenho nem ideias pra descrever o tal.

Talvez você não sinta nem um quarto do amor que sinto por você, na verdade, talvez o que você sinta por mim nem seja amor, e talvez eu nem mereça que você me ame, mas não larga de mim não, tá? Juro vou dizer que te amo todo dia e provar isso, contar novas piadas, aguentar suas TPM’s sem reclamar, cozinhar pra você e essas coisas todas. E se você estiver lendo isso, provavelmente deve estar se perguntando: “E por que eu não deveria te largar?” Justificando: É porque a cada texto, música, filme relacionados ao amor, você é a primeira pessoa que vem a mente. Porque quando estou completamente mau humorado, triste, irritado ou coisas do gênero, basta apenas você aparecer pra tudo se converter em coisa boa. Porque perco horas pensando no que você está fazendo, como está se sentindo ou o perfume que está usando. Porque sei que não sentia a felicidade completa antes de te conhecer. Porque simplesmente se você não existisse, menina, eu teria que te inventar.

sábado, 12 de novembro de 2011

É meio normal isso de passar o dia bem, conversando com todo mundo, sorrindo. Quando chega a noite, na hora de ficar só, eu e meu pensamento, eu e minhas recordações, eu e minha mágoa é uma dor forte no peito, uma dor parecida com a dor de quando você prende o dedo na porta de casa sabe?
A lágrima chega a descer de tanto aperto. A diferença é que o dedo preso na porta eu posso chamar alguém pra me socorrer, pra dar uma ajuda qualquer, e essa dor não, essa dor eu tenho que agüentar só, entende? Ou isso é muito complexo pra você?
Não existe ajuda possível, não existe cura, e esperar o tempo passar dói demais. O tempo dói. Meu coração dói.

Marcelo C.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011


Sempre sofri por amor, algumas vezes fui feliz também, a maioria das vezes me viram triste, chorando pelos cantos. Talvez seja um carma, não sei bem. Mas mesmo assim, ainda não entrei e não penso em entrar no clube dos otários que acham que amar é coisa pra otário.

Marcelo C.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Minha vida acabou pela segunda vez. E acho que vai acabar mais vezes, porque afinal é amor.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Daí eu vi que o mundo não era tão perfeito assim e que nem todo mundo se preocupa com seus sentimentos aparente, ai eu cai.
Depois disso eu (sozinho) olhei pro lado e vi que eu tava me lamentando tanto da minha vida que isso me transformaria numa pessoa chata e monótona. O amor da minha vida me deixou por motivos banais aparentemente, eu ali me lamentando a cada esquina e pra qualquer pessoa, me afundando na tristeza de ser só. Não era depressivo, isso não, eu era feliz, bem feliz até. Só que faltava algo.
Abri os olhos novamente, amigos verdadeiros, festas, bebidas, garotas, e essa fase foi muito boa se quer saber. Conheci muita gente, mudei muito conceito, superei barreiras, essas coisas de adolescente que descobriu o amor perto da maior idade. Daí eu cai de novo, e vi que pra onde eu corresse a vida iria me derrubar, não sempre, mas as vezes ia levar uma rasteira pra acordar.Ai me levantei novo e outra pessoa, ai já não era um adolescente que descobriu um amor, e sim um homem que descobriu que aquilo era amor. Uma vez ouvir dizer que quando você encontra o amor da sua vida, você descobre isso da pior maneira possível e que geralmente é nessa faixa etária. Eu já tinha materializado outro sentido pra palavra “amor“, ate que um encontro rápido e tremulo que me fez repensar o que era “amor”.
O que seria amor?
Num desses rascunhos de pensamentos cheguei a uma pequena conclusão: amor é vê as qualidades e elogiar, é ver os defeitos e elogiar, é ter a certeza que por mais fria que seja a pessoa amada ela nunca te desapontaria, é mandar SMS de madrugada querendo saber se ta tudo bem só por que você teve um pesadelo. É tirar felicidade de onde não tem, só pra fazer a pessoa rir e gargalhar com suas palhaçadas.
Na verdade esse é o meu conceito de amor no momento, mas será que ele mudará?
Espero do fundo da alma que você, meu amor, esteja comigo para descobrimos juntos.

Marcelo C.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Teu ego é minha base. Meu ego é teu destino. Meu destino é o teu outro. Teu destino é o meu ego. Teu outro é o meu destino. Tua base é o meu outro. Meu outro é a tua base. Por tudo simplesmente, não compreendo por quê: não.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Será que realmente você me leva a serio?
Será que eu não vou me afogar novamente porque dessa vez você vai se comprometer a me segurar?
Será que eu não tenho motivos pra chorar de tristeza?
Será que minha ansiedade é só um bom presságio?
Será que meu desespero vai ser motivo de risos nos nossos fins de semanas chuvosos?
Perguntas que há muito tempo são constantes na minha cabeça, e a melhor forma delas se resumirem é em PREOCUPAÇÃO, em da algum passo errado e você desistir de tudo, de nós. Mas em hipótese nenhuma penso em falhar com você, nem pressionar, essas coisas auto-explicativas. Não vou negar e dizer que não to nervoso, que as vezes não bate uma angustia repentina, que eu não tenho sonhos, mas também não vou negar e falar que to feliz, to muito feliz, ai garota, você não sabe o bem que me faz e como eu fico só de saber que num outro dia vou te ver, eu sei que você também fica, e sei que você também gosta de mim, eu sinto isso entende?
É um amor que não tem explicação, e cada momento que eu passo nas ruas, todos percebem e isso contagia. Afinal amor é bom, é bom de sentir, é bom de viver, é bom de compartilhar. Você controla meu humor.
Eu não sinto nenhuma felicidade além de ti.
Eu tenho certeza que vamos ficar juntos, nesse mês que entra? No próximo ano? Nessa vida ou em outra e outra e em outra... nós vamos ser uma dupla imbatível juntos, e você vai ser minha.

Marcelo C.

domingo, 23 de outubro de 2011

Uma tarde peguei nas suas mãos e, bem cruel pedi: Olha dentro dos meus olhos e me responde à seguinte pergunta: Você não me ama mais?

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Eterno, é aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011


Eu sou desses que acreditam que pra pode amar alguém você tem que conviver. É meio besta achar que você se apaixonou a primeira vista, porque isso é ilusão. A primeira vista você se interessou pelo físico, pela beleza e você não vai conviver só com a beleza o resto da vida. Pra você ter o amor da sua vida, você tem que conhecer e se agradar dos defeitos.

Marcelo C.

domingo, 16 de outubro de 2011


Já que não te tenho por perto eu vou tomar um sorvete para alegrar o meu dia, já que você não veio na mala eu vou dormir na sala pra mudar a rotina. Hoje ficou tarde pra ligar...
Ás vezes me canso até andar na rua e respirar, desatando a garganta que aperta de lembrar que a saudade é sua. Eu não tenho tempo pra ficar questionando a vida, posso até ousar e reinventar, numa outra saída.
Se quiser tentar adivinhar o que eu guardo aqui no peito não se acanhe de falar, é o seu direito.

sábado, 15 de outubro de 2011

O olhar que eu trago na lembrança ainda traz a esperança de estar ao teu ladinho numa próxima estação.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

É acho que agente se resolveu.
Acho que perdi você como namorada, não sei direito ainda, mas acho que consegui trazer de volta à realidade a menina na qual eu sou completamente apaixonado.
Te por contra a parede mesmo contra tua vontade e dizer o que está errado me torna menos angustiado. Eu te conheço muito bem pra saber que tu não era aquela pessoa amargurada que vinha mostrando. Estou com um sentimento misturado dentro do meu pequeno coração. Não sei se fico feliz ou triste.
Já que eu te trouxe de volta a “realidade”, mas como toda coisa tem seu preço, acho que te perdi, ainda é muito confuso tocar nesse assunto.
Se eu falar que estou chorando de alegria vocês poderão entender, porque eu não sei como definir o meu amor, é muito grande pra caber em qualquer definição.
Realmente eu estou feliz por você, ter caído em si e ver que o que você estava fazendo a você mesma não era bom.
Quando você se machucava, eu sentia a dor por você, quando você sofria, eu sofria junto.
Mas uma coisa é certa, eu consegui te mostrar o caminho que você tem que passar pra voltar a ser a mesma garota.
Isso me deixa feliz. Eu te amo demais pra te ver sofrendo, desculpa pelas palavras duras, me perdoa por tudo que eu te fiz de mal.
Não consigo mais escrever as lagrimas não deixam.

Arthur Gomes.

terça-feira, 11 de outubro de 2011


Corre ao meu encontro meu amor, corre com pressa, eu to esperando com calma.
Acho que minha calma é suficiente pra acalmar nossas vidas. Queria te falar que te amo sem problema algum.
O tempo passa ligeiro, mas eu tenho calma, se você tiver força de vontade, as dificuldades vão passar como os veículos passam na BR, sem calma alguma.
No nosso caso a calma é fundamental, ando muito calmo, não sei como consigo manter a seriedade numa situação não favorável.
Como comecei calmo a escrever meus textos, vou terminar calmo.
Como você despertou minha inspiração com calma, você com certeza irá manter forte e serena.
Eu peço aos dias que me dêem calma pra não desmoronar, peço que eu não atrapalhe com minhas besteiras, enfim.
Te peço toda calma do mundo pra tomar as decisões mais certas.
Eu calmo. Você calma. Eu e você juntos, calmos.

Marcelo C.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011


Você lê e sofre, você lê e ri. Você lê e se engasga. Você lê e tem arrepios. Você lê e a sua vida vai se misturando no que está sendo lido.

sábado, 8 de outubro de 2011

To apressado, correndo a mil por hora de tanta felicidade.
Não importa a demora, to aqui pra te esperar.
Mas minha vontade aumenta a cada dia e tento arrumar motivo pra me segurar, mas você sabe né meu amor impossível te olhar e não pedir, desejar, implorar por um beijo seu. Chega a ser cômico o jeito que fico do seu lado, com o olhar espantado e tentando manter a seriedade (se não fosse um texto tão bonito eu ia soltar varias risadas) porque esse é meu espírito hoje, feliz, muito feliz, acho que a possibilidade de te ter completamente me faz ficar assim, você deixa assim com esse ar de besta e não que eu esteja reclamando, até acho muito bonito o modo como fico te abraçando. Ta ya se hace tarde mi amor, voy a soñar con usted.

Marcelo C.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Acho que até agora meu coração não entendeu o que está acontecendo.
Sim ele não entendeu, umas pessoas me deram força, outras não.
Cansei de chorar essas noites pensando o porque...
Me pego chorando nesse momento, sobre meu teclado marcado de tristeza, a frieza como tu tratou o nosso amor, meu amor, eu sei que algumas vezes não fiz por onde, mas eu te juro, eu aprendi com meus erros. Na minha idade poucos garotos queriam sentir isso que eu to sentido agora. Ver as pessoas me perguntando se estou bem, eles por mais que se sensibilizem com a situação não fazem idéia de como eu to por dentro. Eu não tenho como e nem motivo pra está bem, na verdade acho que vai levar um bom tempo pra me acostumar com isso tudo.
As lágrimas caem do meu rosto como se eu fosse um bebezinho que perdeu seu amado ursinho.
Não sei se você acredita ou não, isso já não importa, mas pedir meu ponto de paz. Fico pensando se isso um dia vai ter volta, realmente não sei o que pensar, não sei por onde andar, já que você era minha estrutura.
O amor mais puro que alguém  pode sentir, mais triste daquele que vive de lembranças e sem esperança. Me despeço agora com as lágrimas que ainda caem do meu rosto.
Que isso me torne mais forte do que um dia eu fui.

Arthur Gomes.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Você é meu tudo!
Jeito estranho de começar um texto não?
Mas se tratando do que eu sinto por você é válido. Eu não estou exagerando quando digo que “você é meu tudo” é porque você está em tudo ao meu redor, seja no meu jogo preferido que eu uso pra escapar do estresse do dia-a-dia, ou quando me divirto com “nossos” amigos, todo me lembram um pouco de você. Em todo lugar e em todas as coisas eu procuro você, e te vejo até nas pequenas coisas, como nossas alianças, nossos ursos, nas ruas, na minha casa, na minha vida, no meu coração. E quando me pego pensando em outra coisa, eu penso em você e volto a sonhar.

Thayna Pacheco e Arthur Gomes,

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Eu sinto ciúme quando alguém te abraça, porque por um segundo essa pessoa está segurando meu mundo inteiro.

sábado, 1 de outubro de 2011


Você que afirma que triste você fica calada, mas seus olhos clamam por alguém pra te ouvir, você não precisa de pintura no rosto, porque você é linda de rosto limpo, adoro seu senso de humor, e seus ciúmes, sua preocupação em ajudar as pessoas me agrada e me comove, seu ponto forte é o olhar firme, se mostra como uma menininha, mas ninguém sabe a mulher que tem dentro de você meu amor, faz birra pra chamar a atenção se for preciso, chega ser hilário. É de admirar como você é linda com essa sua fé inabalável, esse cheiro que demora pra sair da pele daquele que te abraça. Você não precisa mudar por ninguém, você se diz auto-suficiente, mas, no fundo você sabe que precisa de alguém pra dividir as tristezas não é?
Não acredita nesses contos de fadas perfeitos, mas assim como eu, você acredita que o amor é capaz de tudo.

Marcelo C

quinta-feira, 29 de setembro de 2011


Sempre precisei de um pouco de atenção [...]
Esse é o nosso mundo, o que é demais nunca é o bastante, a primeira vez é sempre a última chance.

Por que esperar se podemos começar tudo de novo agora mesmo.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011


Hoje no meu quarto, escuro, frio, nariz escorrendo, lagrima salgada. Sentindo a nostalgia aflorar na pele. Olhos fechados, você aqui comigo (em pleno pensamento) me abraçando e falando que tudo não passou de um pesadelo cruel e finito. As vezes passa, as vezes volta, e continuo nessa gangorra disparada.

Marcelo C.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011



Você não precisa temer. Acredite em mim, segure a minha mão e vamos seguir em frente. Não pretendo atropelar seus passos, apenas guiar-te por um caminho diferente. Não tenha medo das pessoas, elas não estão preocupadas com a sua felicidade. Concentre seus olhos nos meus e me deixe te guiar, ao menos por essa tarde.


Thomaz Homero.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Seja simples. Seja algo que você ama e entende. Esqueça o resto, tudo que você precisa está na sua alma e em seu coração.

sábado, 17 de setembro de 2011


Quando chega o tempo que tudo se estraga, onde tudo que nasce morre, onde começa e acaba como um piscar de olhos. Me chamaram pra sair essa noite, que tal uma vodka pra acalmar os ânimos?
Pode ser que seja necessário varias vodkas pra dar aquela animada. Isso é reflexo da tristeza, ou solidão que é o óbvio. Meus amigos andam falando que to me tornando “jovem ranzinza”.
Quero viver a vida dos meus ídolos, eles sim eram “os caras”. Ando tão sem rumo que fujo dos assuntos mais importantes da minha vida, eu ainda chamo de vida, claro que ta ressecada mas não me deixa querida, não me abandona não. Me espera que eu vou ali tomar umas doses de vodka e volto a falar com você.

Marcelo C.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011


Uma tarde preciosa e respeitável. Corpos quentes no tempo certo, na temperatura correta e pele sensível. Abraços e beijos quentes!
Senti sua mão na minha nuca, a minha no seu rosto, a sua me alisando e eu lhe dedilhando. Amor, suor, quentura, prazer, envolvimento, apertos, novidades...
Um completando o outro de maneira inexplicável. Corpos que vem e vão num mesmo momento, juntos como sempre. Um fim de tarde emocionante, derramamento de lagrimas. Não qualquer lagrima, mas sim lagrima de felicidade. Ambas as partes envolvidos num só amor, aquele nosso momento marcado pela nossa música. Bom dia meu amor, olha as flores que trouxe pra você. Sorvete derretendo de tanta quentura dos corpos entrelaçados, mais prazer, muito respeito envolvido, pitadas de atrevimento. Vamos ser felizes pra sempre meu amor, somente com o nosso amor, eu e você, juntos, enfim sós.

Marcelo C.

domingo, 11 de setembro de 2011


Se  nós, nas travessuras das noites eternas já confundimos tanto as nossas pernas, diz com que pernas eu devo seguir ?

terça-feira, 6 de setembro de 2011

sexta-feira, 2 de setembro de 2011


Durante sua vida você irá encontrar várias pessoas e achar que ela é seu mundo, seu ponto de paz, e várias vezes você irá se decepcionar.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Olha, eu sei que o barco ta furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar também. Ta me entendendo ? Eu sei que sim. Eu entro nesse barco, é só me pedir. Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou. Faz tempo que quero ingressar nessa viagem, mas pra isso preciso saber se você vai também. Porque sozinho, não vou. Não tem como remar sozinho, eu ficaria girando em torno de mim mesmo.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011


Quando eu te peço pouco é porque quero tudo que possa me dar, quando eu te peço pra esquecer é porque quero te fazer lembrar de tudo que passou. Quando eu te digo que eu não penso é porque eu não paro de pensar. Quando eu tento me esconder é porque eu só quero te mostrar, o que eu ainda sou.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011


Ninguém ligou, nem vai ligar. O visor do telefone não acusa nenhuma mensagem perdida. E-mail, sinal de fumaça, uma chamada não-atendida. A tela da TV não parece uma saída. Eu vivo um refrão antigo, feito às pressas, plágio de uma bela melodia. Eu vivo um sonho toda a noite, eu vivo a noite todo dia. O que não pude prever, o que eu não queria. E quando eu ver TV, vou ter sempre uma chande de lembrar.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo a viver sem você
Tô aprendendo e não quero aprender...

(esses eram os ruídos que saiam de sua cabeça.)

terça-feira, 23 de agosto de 2011


Ouvir um eu te amo na primeira semana faz disparar o coração, despeja na corrente sanguínea
adrenalina suficiente pra você nunca ter que pular de pára-quedas na vida. Te faz sentir vivo [...]

segunda-feira, 22 de agosto de 2011


[...] se quer saber eu andei lendo uns contos do Caio Fernando Abreu e não anda nada fácil, cada trecho dele é como se desprendesse metade do que eu sinto por você, abre meus olhos com uma quentura tão forte que chego a pensar que isso nunca vai passar.
Não dói, isso não, mas é um aperto no coração que perco as forças, tem hora que parece que  tudo mudou, mas na medida que eu sonho eu vejo que nada mudou da mesma forma que eu espero que mude. Quando eu vejo que não sou a mesma pessoa, penso que pode ser mais fácil, mas não, você mudou, não vejo aquele semblante que via durantes meses. To pensando em arrancar meu coração, talvez o cérebro não tenha pra quem mandar resposta.

Marcelo C.

sábado, 20 de agosto de 2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

O que me importa seu carinho agora, se é muito tarde para amar você ?
O que me importa se você me adora, se não há razão pra lhe querer ?
O que me importa vê você sofrer assim, se quando lhe quis, você nem mesmo soube dar amor...
O que me importa vê você chorando, se tantas vezes eu chorei também ?
O que me importa sua voz chamando, se pra você jamais fui alguém ?
O que me importa essa tristeza em seu olhar, se meu olhar tem mais tristezas pra chorar que o seu!
O que me importa vê você tão triste assim, se triste eu fui e você nem ligou ?
O que me importa seu carinho agora, se para mim a vida terminou!

domingo, 14 de agosto de 2011

Bem, eu realmente aprendi algumas coisas e uma delas é que a felicidade não tem nada a ver com a aprovação das outras pessoas. O que realmente importa é estar feliz com você mesmo, encontrar alguém que é importante para você seguir adiante sem ligar para o que os outros falam.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011


Ok você apareceu pra me mostrar que eu também posso ser amado e não só amar, me mostrou que o que eu fazia pelas outras você seria capaz de fazer por mim, me esperou.
Relevou, ignorou minha ignorância, não deixou minhas palavras nada românticas te ferir,
Afirmou que eu ia te amar, e você seria capaz de fazer isso sozinha, sem minha ajuda, sem minha colaboração, eu tava preso, sem saída, talvez a melhor saída seria ficar só ou somente pisar em alguém, olha como eu tava sendo rude com você, mas foste de uma educação, amor, carinho e tudo de bom. Chorou quando teve que chorar, me pressionou quando foi necessário,  não me forçou a nada, e eu voltei, talvez por você ser assim tão amável, talvez por ter conseguido me fazer te amar. Talvez porque te amo.


Marcelo C.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011


- Você tomou alguma coisa ?
- O quê ?
- Cocaína, morfina, codeína, mescalina, heroína, estenamina, psilocibina, metedrina.
- Não tomei nada. Não tomo mais nada.
- Nem eu. Já tomei tudo.
- Tudo ?
- Cogumelos têm parte com o diabo.
- O ópio aperfeiçoa o real.
- Agora quero ficar limpa. De corpo, de alma. Não quero sair do corpo.